segunda-feira, 17 de julho de 2017

Nova Fortaleza de Slow Food no Brasil para proteger o Mel de Abelha Jandaíra





Jandaíra é uma espécie de abelha exclusiva do bioma Caatinga, nas terras secas do semiárido. Seu nome em tupi “jandiá-ira” significa em tupi “abelha do mel”. Ela é uma abelha sem ferrão, grupo presente apenas nas regiões tropicais e subtropicais do planeta. A criação desse tipo de abelhas é atividade intimamente ligada aos costumes tradicionais da região nordestina do Brasil.
Nas terras secas do Povoado do Cabeço, em Jandaíra/RN, as abelhas nativas são criadas há várias gerações, tradição passada de pai para filho. Ela é fundamental para a polinização da Caatinga. Por este motivo, os jovens da Associação dos Jovens Agroecologistas Amigos do Cabeço - JOCA (que constituem a Comunidade dos Jovens Criadores de Abelhas Nativas do Rio Grande do Norte) lutam pela perpetuação dessa tradição, divulgando técnicas de multiplicação das colônias familiares, desestimulando a retirada depredatória de abelhas remanescentes em hábitat natural, pois conservando a Jandaíra, conserva-se a caatinga, conserva-se o povo. O reconhecimento do trabalho desta comunidade culminou na criação da Fortaleza do mel de abelha Jandaíra.

O município de Jandaíra é batizado com seu nome tão significativo foi sua presença e também em homenagem à profunda relação de seu povo com o manejo e produção do mel dessa espécie. Atualmente é conhecida como "a Cidade do Mel". Ele está localizado no território do Mato Grande, o principal berço genético da abelha. A grande incidência de enxames tem registros que remontam a meados do século XIX, tempo em que os tropeiros ali pernoitavam, levando lenha e carvão para o litoral, de onde traziam o peixe de sal preso. No caminho, buscavam o excelente mel dos troncos ocos das Imburanas. Com o tempo, pequenos “arruados” foram se formando na beira das estradas tropeiras, dando origens a municípios como Jandaíra, oficialmente fundada em 1964. Lá o mel da abelha nativa ganhou fama e status de "medicinal" na cultura popular. Mesmo em Natal, capital do Rio Grande do Norte, a referência ao mel é feita com muita distinção: "mel de Jandaíra é coisa dos deuses"; "gripe e resfriado se cura com mel de Jandaíra"; "quem passa em Jandaíra tem que trazer mel", diziam os mais antigos, que costumavam consumi-lo com farinha de milho.

Para ler mais sobre a Fortaleza e os 15 produtores, clique aqui.

Para mais informações, contate:

Responsável pela FortalezaAdriana Lucena (Referente Slow Food): aroeira.pimentas@yahoo.com.br
tel: +55 84 9670-3351
Francisco Melo Medeiros (Coordenador): francisco.jandaira@yahoo.com.br
tel: +55 84 8719-3892

Fonte: Slow Food International Press Office









terça-feira, 11 de julho de 2017

XXV Avaliação Nacional de Vinhos...Chegam Amostras de Norte a Sul





Exibindo Avaliação Nacional de Vinhos 2016 - foto Jeferson Soldi (3).jpg





Cresce o número de amostras inscritas na Avaliação Nacional de Vinhos

Neste ano serão degustadas 335 amostras de 59 empresas, superando os números das quatro últimas edições

As expectativas para a 25ª Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2017 são as melhores possíveis. Isso porque o principal evento do setor vitivinícola brasileiro recebeu inscrições de 335 amostras oriundas de 59 empresas, localizadas sem seis diferentes estados. São os números mais expressivos das últimas quatro edições. 
Agora a Associação Brasileira de Enologia (ABE), promotora do evento, se prepara para dar início à coleta dos vinhos diretamente nas vinícolas, trabalho executado por enólogos associados à entidade e profissionais da Embrapa Uva e Vinho, responsável pela coordenação técnica.

O presidente da ABE, enólogo Edegar Scortegagna, acredita que as amostras irão atestar a qualidade da safra 2017, que teve bom desempenho em diversas regiões produtoras. “Ao que tudo indica, as uvas colhidas neste ano darão origem a vinhos e espumantes de excelência”, destaca. “Anualmente, a Avaliação indica as amostras mais representativas da safra e, de certo modo, orienta as vinícolas sobre suas prováveis apostas para o mercado”, acrescenta Scortegagna.

Após a etapa de coleta, nos estados da Bahia, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo, cerca de 120 enólogos participarão da Degustação de Seleção no Laboratório de Análises Sensoriais da Embrapa Uva e Vinho, durante o mês de agosto. Eles avaliarão cada amostra às cegas, ou seja, sem saber a qual empresa pertencem os exemplares. 
O resultado deste minucioso trabalho será anunciado no dia 23 de setembro, quando 850 apreciadores estarão reunidos no Pavilhão E do Parque de Eventos de Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha, para conhecer a relação dos 30% mais representativos e degustar na taça uma seleção de 16 amostras.

Em 24 safras, a Avaliação Nacional de Vinhos já apreciou 5.522 amostras e reuniu 15.467 degustadores. O evento é reconhecido por sua proximidade com a cadeia produtiva da uva e do vinho, contribuindo para que a produção do vinho brasileiro evolua em qualidade, tecnologia e reconhecimento.

Saúde Brasil!!

Exibindo Avaliação Nacional de Vinhos 2016 - foto Jeferson Soldi (2).jpg

Fonte texto: Conceito.com
Fotos: Jeferson Soldi







segunda-feira, 10 de julho de 2017

La Sfida na Serra Gaúcha 2017









Bento recebe o La Sfida - Espumantes 2017

Quem estiver na Serra Gaúcha entre os dias 12 e 15 de outubro deste ano terá uma oportunidade para unir duas paixões: a corrida e o vinho. 
O circuito La Sfida – Espumantes 2017 traz quatro dias de atividades nas cidades de Bento Gonçalves, Pinto Bandeira e Garibaldi.
Corridas matinais em ambientes rurais e com cenários espetaculares, visitas a cantinas e vinícolas, além de cursos de harmonização e degustação de espumantes, compõem a programação.
Serão quatro dias de atividades. Tudo começa com uma corrida matinal (Corsa) num ambiente rural de natureza exuberante, com direito a merendim*, visitas a vinícolas, ingresso para a festa do espumante brasileiro, a Fenachamp, cursos de harmonização e degustação de espumantes e, como granfinale, um brunch dentro de uma das maiores vinícolas do Vale dos Vinhedos.
De 13 a 15, os participantes se dividirão entre duas provas: a Corsa Corta 3 e a Corsa Lungra 3, com três percursos diferentes nos municípios. Quem optar pelo Corsa Corta percorrerá, ao longo dos três dias de corrida, 24,5 km. O Corsa Lunga é destinado a corredores mais experientes e traz percursos de 15,2 km, 21,4 km e 9,4 km, totalizando 46 km entre sexta-feira e domingo. Todas as corridas têm largada às 8h. Depois da superação matinal, as recompensas vêm regadas a muito vinho e espumantes, lanches típicos italianos serão servidos após as corridas.
O evento é exclusivo a 300 pacotes turístico-esportivos. A limitação se deve ao nível de exigência estabelecida na seleção dos prestadores de serviço que atuarão nas 72 horas a serem vividas numa das mais belas regiões do Brasil e na época de muitas comemorações relativas ao tema.
Cada atleta que concluir as três etapas de cada corrida escolherá como prêmio de participação uma garrafa de vinho ou um espumante. As inscrições podem ser feitas no https://goo.gl/Hs8wA1 até 10 de setembro de 2017.
O La Sfida - Espumantes 2017 é uma realização da Multiprom Eventos, conta com apoio do Bento Convention Bureau e Aprovale e parceria das Prefeituras de Bento Gonçalves, de Garibaldi e Pinto Bandeira e Vinícolas Miolo e Peterlongo.

O que: La Sfida – Espumante 2017
Quando: 13, 14 e 15 de outubro de 2017
Onde: Pinto Bandeira, Garibaldi, Bento Gonçalves e encerramento no Vale dos Vinhedos
Informações: www.lasfida.com.br
Para outros: contato@lasfida.com.br ou (51) 9 8472-1612 | (51) 9 9186-6604
*Merendim é uma refeição típica da Região da Uva e do Vinho. É um ‘café colonial’, ou seja, uma refeição que não tem a finalidade exclusiva de um café da manhã e pode ser degustado a qualquer hora do dia. Tradicionalmente é composto de uma farta mesa de pães variados, cucas, bolos, grostoli, biscoitos, manteiga, geleias de frutas, mel, frutas da época, queijos, salame, copa, etc., com muito vinho, espumantes e suco de uva. E o melhor de tudo é que a maioria dos produtos é artesanal e de produção caseira.








domingo, 9 de julho de 2017

Vini Bra Expo RJ, Um Panorama da Diversidade dos Vinhos Brasileiros




Exibindo IMG-20170708-WA0005.jpg


Com o objetivo de valorizar o melhor do vinho brasileiro em suas mais diversas expressões regionais e com representantes do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Bahia e Pernambuco, os jardins do Città Office recebem, nos dias 29 e 30 de Julho, a primeira edição da Vini Bra Expo.

O evento conta com o apoio da Associação Brasileira de Sommeliers (ABS) e do Instituto Brasileiro do Vinho (IBRAVIN), e curadoria de Gustavo Guagliardi Pacheco, médico conhecido por colecionar vinhos e promover grandes degustações, além de ser membro de bancas julgadoras e deter certificações internacionais.

“O vinho brasileiro já é uma realidade há algum tempo, tendo sua qualidade reconhecida no exterior. Precisamos exaltar o belíssimo trabalho de vinícolas de distintas partes do país, que buscam, acima de tudo, a expressão de seus lugares, proporcionando uma experiência onde o visitante possa descobrir e se aproximar da noção de terroir, descobrindo que toda a beleza da diferença cultural de nosso país também se encontra em seus melhores vinhos. Nossa missão é aproximar o público destes produtores e permitir que esta mensagem chegue a todos”, explica Gustavo.

Em uma área de aproximadamente 20 mil m2, em meio a lindos jardins paisagísticos e com todas as atividades em área coberta, o evento é dividido em três espaços: área de degustação-exposição dos produtores vinícolas, área de provas dirigidas (master-classes) e área de convívio gourmet.

Na área de degustação-exposição será possível conhecer o trabalho de mais de 30 vinícolas que estarão representadas pelos próprios enólogos ou proprietários em um circuito composto por nomes consagrados como Dal Pizzol, Adolfo Lona, Don Abel, Lidio Carraro,
Casa Valduga, Miolo, Chandon, Aurora e Pericó já estão confirmados, assim como revelações como Suzin (SC), Villaggio Bassetti (SC), Larentis (RS), Helios (RS), Luiz Porto (MG) e Maria Maria (MG), além de outros.

Saúde Brasil!!!

Para maiores informações: https://www.vinibraexpo.com/


Fonte Texto: Canal Comunicação






sexta-feira, 7 de julho de 2017

RIO WINE AND FOOD FESTIVAL ACONTECE DE 21 A 27 DE AGOSTO NO RIO DE JANEIRO





Exibindo 20170401_104519.jpgRio Wine and Food Festival 2017



Festival chega a seu quinto ano consagrando-se como um dos maiores eventos do setor, registrando crescimento e com novas atrações.

Seu formato inovador democratiza a enogastronomia por toda a cidade. 
É para beber bons vinhos. É para se deliciar com boa gastronomia. É para aprender e/ou aprofundar o conhecimento. É para discutir o segmento. Mas acima de tudo, é para se divertir!
Durante mais de uma semana, de 21 a 27 de agosto, o Rio de Janeiro será palco do Rio Wine and Food Festival (RWFF), evento que acontece em vários pontos da cidade, de norte a sul, provando que o vinho pode ser plural e estar ao mesmo tempo num mercadão, numa balada, numa feira de negócios, num jantar ultra sofisticado, ou num ônibus de turismo. 
Não por acaso, o festival ganhou a chancela da Secretaria de Turismo (SETUR) e da RIOTUR, e entrou para a agenda oficial de eventos da cidade do Rio de Janeiro. 
A edição 2017 do RWFF tem seu calendário ampliado para nove dias - incluindo dois finais de semanas.
Destaques da Programação do RWFF 2017: 
Antes da abertura oficial acontece uma informal. No sábado 19 de agosto, no CADEG, o mercado municipal do RJ em Benfica, em ambiente descontraído e com música ao vivo, milhares de pessoas terão a oportunidade de provar vinhos em diversas ações, como festivais de vinho em taça com preços acessíveis, promoção em restaurantes, palestras, uma Master Class e em um inédito Encontro de Confrarias. 
A abertura oficial acontece no dia 21 de agosto com um jantar de gala para convidados, no qual são entregues os troféus Vinha Velha para empresas e personalidades que se destacam no mercado de vinhos, além do troféu de Sommelier do Ano, concurso realizado em parceria com a Associação Brasileira de SommeliersRJ. 
Na terça-feira dia 22, das 8h às 17h é hora de ver o vinho sob o ponto de vista do trade. 
O Seminário Vinho & Negócios, promovido em parceria com a Fundação Getúlio Vargas – FGV, com entrada franca (mediante inscrição), promete repetir o sucesso de edições anteriores reunindo palestrantes do primeiro time da indústria mundial com centenas de profissionais na plateia. Nesta mesma noite, um evento original e de grande charme rouba a cena: o Degusta Talk Show, no qual uma personalidade é entrevistada enquanto o público prova seus vinhos.
O ápice da semana, como sempre, é a Feira Show De Vinhos, que acontece este ano no dia 24, quinta-feira, no Clube Piraquê. O Rio de Janeiro, um dos melhores mercados para os vinhos do país, é bastante apreciado pelo trade por seu grande consumo, além de atrair muita gente de outras cidades – inclusive compradores e jornalistas. 
Este ano a feira, que conta com o apoio do IBRAVIN - Instituto Brasileiro do Vinho, terá uma série de ações sobre vinhos brasileiros, tornando a ALA BRASIL ainda mais atraente e visitada. No mesmo dia e local, acontecem as concorridas Master Classes, onde os participantes poderão desfrutar da esperada prova que reunirá alguns destaques da Grande Prova Vinhos do Brasil 2017, que este ano acontecerá imediatamente antes do festival. 
Outra Master Class que promete ser disputada é a da empresa francesa Juss Millésimes, que trará ao festival uma seleção de luxo de vinhos da Borgonha e resto da França. Mais um destaque será a degustação "Brasil de Guarda", com rótulos a partir da década 1970. A iniciativa se propõe a afirmar a capacidade de envelhecimento dos vinhos nacionais, comprovando a nossa evolução qualitativa. 
Nesta edição, haverá também feiras exclusivas de países e regiões, como a que acontece no dia 23, reunindo alguns dos melhores produtores do Chile, no evento oficial da Wines of Chile, líder isolado do mercado de vinhos importados no Brasil, que acontecerá no recém-reinaugurado Gran Meliá Nacional. 
No dia seguinte, é a vez do Tannat Tour, através do seu órgão oficial, Wines of Uruguai, trazendo o melhor dos vinhos do país vizinho. 
O fim de semana final do RWFF será totalmente voltado ao consumidor final, com a saída do Wine Bus (ônibus de dois andares que harmoniza um city tour pelas paisagens da Cidade Maravilhosa com degustação de vinhos) e com o Wine Out, um outlet de venda promocional de vinhos, enriquecido com aulas e provas dirigidas ao público em geral, junto muitos food trucks e música ao vivo. 

A Programação completa: www.riowineandfoodfestival.com.br Contato@riowineandfoodfestival.com.br 

Fonte Texto: Grupo Baco Multimídia

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Espumante Brasileiro


A imagem pode conter: atividades ao ar livre, água e natureza

Espumantes brasileiros se destacam em solo francês

Citadelles du Vin avaliou 1074 amostras de 31 países

Outro dia, conversando com Adriano Miolo - um dos responsáveis pela revolução na qualidade do vinho brasileiro na década de 90 - sobre a casta de uva emblemática do Brasil...sua resposta foi a seguinte:" Pelo Brasil ser um país continental, muito dificilmente uma casta de uva resultaria como emblemática em toda a extensão territorial deste enorme país, mas existe uma bebida que pode ser considerada a bebida emblemática do país...de norte a sul, passando pelo sudeste, os resultados são incríveis!"  
A comprovação desta afirmação vem de longe, do país considerado o berço da bebida ...a França!

O reconhecimento pela qualidade dos espumantes brasileiros não tem fronteiras. E o desempenho do país no concurso Citadelles du Vin, realizado na cidade de Bourg, na França, entre os dias 10 e 11 de junho, atesta esse potencial. Foram 1074 amostras avaliadas, oriundas de 31 nacionalidades. O Brasil recebeu quatro medalhas, além de um prêmio especial para um produto que obteve a melhor pontuação em sua categoria.

O enólogo e conselheiro da Associação Brasileira de Enologia (ABE), Gilberto Pedrucci, esteve no evento e ressalta que o resultado confirma o potencial dos produtos nacionais mundo afora. “Foi uma honra representar os enólogos brasileiros em mais um concurso internacional de vinhos. O excelente resultado obtido por nossos produtos comprova a evolução da nossa vitivinicultura. Os brasileiros devem ter orgulho dos nossos vinhos e espumantes”, comenta.

O envio de amostras para concursos nacionais e internacionais é realizado pela ABE, que há mais de duas décadas cumpre seu papel na divulgação dos vinhos e espumantes produzidos no Brasil.

PREMIAÇÕES
Premio Especial
Garibaldi Espumante Chardonnay Brut – Cooperativa Vinícola Garibaldi

Medalha de Ouro
Garibaldi Espumante Chardonnay – Cooperativa Vinícola Garibaldi
Casa Valduga Espumante Moscatel 2016 – Casa Valduga Vinhos Finos

Medalha de Prata
Casa Valduga Espumante Arte Brut 2015 – Casa Valduga Vinhos Finos
Garibaldi Espumante Moscatel Rosé – Cooperativa Vinícola Garibaldi

Parabéns Brasil...Parabéns Associação Brasileira de Enologia pelo incansável trabalho...Parabéns enólogos brasileiros...Parabéns produtores de uva!!!  Saúde Brasil!

Exibindo Concurso Citadelles du Vin - foto divulgação.jpg


Fonte Texto: ConceitoCom Brasil

terça-feira, 27 de junho de 2017

Brasil assume lugar de destaque no cenário internacional do enoturismo


Exibindo Ivane Fávero_ Crédito Alexandra Ungaratto (1).JPG





A representante do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), Ivane Fávero, é a nova presidente da Associação Internacional de Enoturismo (Aenotur)       
Os destinos do chamado turismo do vinho das principais regiões do mundo serão conduzidos por uma brasileira. A mestre em turismo Ivane Fávero foi eleita presidente da Associação Internacional de Enoturismo (Aenotur) e, nos próximos dois anos, estará à frente da entidade como representante do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), ao lado de uma diretoria com membros de países como França, Argentina, Espanha, Uruguai Portugal e Itália. A confirmação ocorreu na última sexta-feira (23), durante o Congresso Europeu de Enoturismo e Assembleia da Aenotur, realizados em Torgiano, na região de Umbria, na Itália.
A ex-secretária de turismo de Bento Gonçalves e Garibaldi ocupava a vice-presidência para a América Latina da entidade e passa a desempenhar o mais alto cargo do enoturismo mundial. “Temos um longo trabalho pela frente no sentido de provermos em conjunto todos os destinos enoturísticos. O objetivo principal da criação da Aenotur é termos uma plataforma única para divulgar esses destinos e o Brasil está inserido neste contexto”, adianta Ivane.      

Ivane lembra que a entidade surgiu em 2014 como resultado do Congresso Latino Americano de Enoturismo, após reuniões com representantes de Portugal e Espanha. “O fato do Brasil estar na presidência da Aenotur nos coloca definitivamente no mapa do enoturismo mundial. Podemos dizer que já somos referência de qualidade na oferta enoturística mundial”, afirma. A nova presidente informa que entre os principais objetivos é qualificar cada vez mais os produtos enoturísticos e ampliar o número de associados. “Me sinto honrada, agradecida pela escolha de todos os membros associados na assembleia, mas também sinto a responsabilidade deste cargo perante o Brasil e os principais destinos enoturísticos do mundo. Precisamos fortalecer cada vez mais este importante segmento que tanto contribui com o desenvolvimento territorial”, acrescenta.
Para o diretor de Relações Institucionais do Ibravin, Carlos Paviani, a eleição de Ivane no cargo de presidente da Aenotur deverá alavancar ainda mais a atividade no Brasil. De acordo com o último Censo Vinícola realizado no país, cerca de 30% das vinícolas tem projetos relacionados ao turismo de experiência. “O Ibravin acredita que investir no enoturismo é agregar valor à produção, atrair novos consumidores e fortalecer toda a cadeia produtiva vitivinícola”, sintetiza.  O dirigente lembra da trajetória de Ivane à frente das secretarias de turismo nos municípios da Serra Gaúcha e, agora, no recém-criado Comitê de Enoturismo do Ibravin, que a credenciam para o cargo. 
A nova diretoria da Aenotur é formada pelo presidente da Rede Europeia de Cidades do Vinho (Recevin), José Calixto, na vice-presidência, e pelo representante da Associação dos Municípios Portugueses do Vinho (AMPV), Jose Arruda, como secretário geral. Também integram a diretoria as prefeitas das cidades espanholas de Alcázar de San Juan e Cambados, Rosa Melchor e Fátima Abal, respectivamente, o presidente da Iter Vitis France – ONG dedicada ao desenvolvimento do enoturismo na Europa –, Pierre Verdier, o prefeito da cidade portuguesa de Viana do Castelo, José Maria Costa, e o presidente de honra da Città Del Vino – organização que representa as cidades do vinho da Itália –, Paolo Benvenutti. Gonzalo Merino, dirigente da Bodegas Argentinas, e Wilson Torres Chavez, presidente da Associação de Turismo Enológico do Uruguai, representam a América Latina na Aenotur. 
Quem é Ivane Fávero         Ivane Fávero possui graduação em Turismo pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1991); especialização em Gerenciamento do Desenvolvimento Turístico pela Universidade de Caxias do Sul (2000); mestrado em Turismo pela Universidade de Caxias do Sul (2004), MBA em Planejamento e Marketing do Turismo pela George Washington University (2009) e especialização em Gestão Pública Municipal pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2012). Foi presidente da Associação Nacional de Secretários e Dirigentes de Turismo (Anseditur), além de vice-presidente para a América Latina da Aenotur. Atua nas áreas de gestão do turismo, planejamento, políticas, turismo rural e turismo sustentável.



Texto: Assessoria de Impressa Ibravin

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Livro: Paisagens do Vinhedo Rio-Grandense recebe prêmio da OIV


Exibindo 20170612_114419.jpg

O meu está assim...todo marcado...muito aprendizado!


Separados pelo Oceano Atlântico, mas unidos pelo amor e respeito à cultura do vinho, Rinaldo Dal Pizzol e Luís Vicente Elias Pastor escreveram a quatro mãos a obra ‘Paisagens do Vinhedo Rio-Grandense’, lançada no dia 27 de junho do ano passado, sem a pretensão de colecionar prêmios. No entanto, o reconhecimento veio naturalmente, diante da originalidade e qualidade da obra. O livro foi premiado pela Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV), com sede em Paris (França), na categoria Vinhos e Territórios.

A reunião de deliberação do Prêmio OIV Júri ocorreu em Sofia, na Bulgária, dia 31 de maio, por ocasião do Congresso Mundial da entidade. Foram conferidos 10 prêmios e oito menções honrosas entre 65 obras de 19 países. Entre os 10 premiados, destaque para países como China, Croácia, Espanha, Estados Unidos, França, Itália e República Tcheca, além do Brasil com a obra de Dal Pizzol e Pastor.

O livro contém 288 páginas, dividido em 15 capítulos. A obra, do Instituto R. Dal Pizzol, é uma referência nos estudos da paisagem do vinhedo e foi produzida com financiamento do Ministério da Cultura, por meio da Lei Rouanet, e conta com o patrocínio de Bradesco, Italínea, Florense, Toniolo Busnello e Concresul, e tem o apoio do Senar e Dal Pizzol Vinhos Finos. Generoso em fotografias, históricas e atuais, o livro permite estimular e suscitar reflexões que possam oferecer diagnósticos corretos e bem fundamentados e, a partir deles, venham propor prognósticos, propostas e soluções para a paisagem cultural do vinhedo.

Rinaldo Dal Pizzol ressalta que atualmente 40% da Serra Gaúcha é coberta por vinhedos, algo que foi acontecendo de forma espontânea pelo povo que passou a cultivar a região. “Seja pela necessidade, seja pelas condições favoráveis, fato é que não há outro lugar que tenha esse tipo de paisagens”, comenta. Para Luís Vicente Elias Pastor é preciso conscientizar os habitantes da zona produtora de uva da Serra Gaúcha dos valores que possui seu território, desde o ponto de vista paisagístico. “Parece-nos imprescindível que os moradores desses espaços reconheçam essas paisagens criadas pelos antepassados e se sintam orgulhosos delas, visto que elas criaram uma identidade específica”, observa. Ao final do livro, Pastor sugere que a paisagem de vinhedos da Serra Gaúcha mereceria ser candidata a ser reconhecida como Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

A organização da obra ficou a cargo da produtora cultural, Dóris Couto, e tem a apresentação da professora Ivanira Falcade da Universidade de Caxias do Sul (UCS). O prefácio é de Mirian Sartori Rodrigues, diretora do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado (Iphae/RS), e prólogo de Jorge Tonietto, pesquisador da Embrapa Uva e Vinho.

OS AUTORES

Rinaldo Dal Pizzol é natural de Bento Gonçalves (RS) e formado em Ciências Econômicas. Desde 1960 foi diretor de empresas do setor vinícola. Presidiu a União Brasileira de Vitivinicultura (Uvibra) e foi vice-presidente da Festa Nacional do Vinho, em Bento Gonçalves, e da Festa Nacional do Champanhe, em Garibadi. Atualmente preside o Instituto R. Dal Pizzol, atua como consultor de empresas vinícolas no Brasil e do exterior, é diretor da Dal Pizzol Vinhos Finos. O Instituto é responsável pela recente constituição do Ecomuseu da Cultura do Vinho que abriga entre outros atrativos culturais uma bem organizada coleção ampelográfica privada (de videiras), em campo, com cerca de 400 variedades, museu a céu aberto e sala de exposição de longa duração que estão à disposição dos visitantes.

Luís Vicente Elias Pastor é natural de La Rioja (Espanha), doutor em Antropologia, mestre em Etnologia e licenciado em Filosofia. De 1974 a 1980 foi diretor do Museu Etnográfico de La Rioja. De 1991-2001 foi diretor da Fundação Caja Rioja. De 1998-2000 foi responsável pelo Programa Líder Temático Cultura do Vinho. Foi professor de Antropologia na Universidade Nacional de Educação a Distância, expert em temas de Patrimônio Cultural, autor de diversas publicações sobre patrimônio e turismo, cultura do vinho e turismo do vinho. Professor convidado de várias universidades sobre temas da cultura do vinho. Foi responsável pela documentação e patrimônio cultural das vinícolas R. López de Heredia (Viña Tondonia) en Haro (La Rioja) entre outras atividades.

Fonte texto:Conceito.com

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Arquivo em Cartaz/ Oficina Lanterna Mágica 2017


Exibindo Post_Oficinas_ArquivoCartaz07 (1).jpg

Eu fiz este curso no ano passado, foi incrível...realmente faz toda a diferença para quem pretende trabalhar com documentário, cinema de arquivo!!

ARQUIVO EM CARTAZ INFORMA:
INSCRIÇÕES ABERTAS PARA A OFICINA LANTERNA MÁGICA
Estão abertas as inscrições para a Oficina de Criação de Filmes Lanterna Mágica. A atividade é gratuita, direcionada a candidatos a partir de 18 anos e os interessados têm até o dia 05 de julho para efetuar a inscrição e concorrer a uma das 18 vagas oferecidas. A lista de selecionados será divulgada no dia 7 de julho pelos seguintes canais de informação:
Fique ligado!
Realizada desde 2015, a Oficina Lanterna Mágica tem por objetivo oferecer o conhecimento e as ferramentas básicas para a experimentação cinematográfica. A partir da apresentação de um breve painel de autores e obras do chamado cinema ensaístico e da análise de uma coleção de filmes de arquivo especialmente selecionada para a atividade, os participantes são incentivados a explorar todo o potencial do material através de exercícios de apropriação e ressignificação de sons e imagens na confecção de ensaios em curta-metragem.
Mantendo a fórmula de sucesso das edições anteriores, Lanterna Mágica convidou o documentarista e ensaísta Joel Pizzini para ministrar a atividade. Pizzini, que concorreu ao Urso de Ouro no Festival de Berlim de 2015 com o curta “Mar de fogo”, assina roteiros e produção de filmes para cinema e TV. Entre outras obras, dirigiu “Olho nu” (2012), documentário sobre o cantor Ney Matogrosso, “Mr. Sganzerla – Os Signos da Luz” (2012), “Anabazys” (2009) e “500 Almas” (2003), Premiado no Festival do Rio, Mar del Plata, Huelva, Brasília e no É Tudo Verdade, também concorreu nos festivais de Veneza e Locarno. Em 2017, seu mais recente trabalho, o curta-metragem “Elogio da Sombra”, foi selecionado para a mostra competitiva do Oberhausen Film Festival, na Alemanha. Além do reconhecimento nacional e internacional de suas obras, Pizzini tem extensa experiência na condução de oficinas e cursos voltados para a criação cinematográfica e a videoarte.
Programada em duas fases distintas, Lanterna Mágica acontece entre 24 de julho e 04 de agosto de 2017, com aulas de 2ª a 6ª feira, das 10 às 13h, no Arquivo Nacional e entre 14 de agosto e 10 de outubro de 2017, quando os alunos terão à disposição os serviços de ilha de edição para a finalização dos curtas-metragens.
Os curtas realizados durante a Oficina concorrerão entre si nas categorias de melhor filme e júri popular, inseridos na grade de programação do Arquivo em Cartaz – Festival Internacional de Cinema de Arquivo, previsto para o período entre 6 a 15 de novembro. A obra premiada na categoria de melhor filme da Mostra Oficina Lanterna Mágica será contemplada com até dez minutos de imagens em movimento do acervo do Arquivo Nacional.
Conheça o regulamento e acesse o formulário de inscrição:
http://cinemasemfronteiras.com.br/site/inscricoes.php


Exibindo DSC_1694.JPG

terça-feira, 23 de maio de 2017

X Concurso do Espumante Brasileiro



 Exibindo Concurso do Espumante Brasileiro 2015 - foto Jeferson Soldi (2).jpg

2017 é o ano do Concurso do Espumante Brasileiro

Associação Brasileira de Enologia dá início aos trabalhos da décima edição

Outubro é o mês do espumante brasileiro na Serra Gaúcha. Entre os dias 18 e 20, integrando a programação da Fenachamp, a Capital Brasileira do Espumante, Garibaldi (RS), recebe o 10º Concurso do Espumante Brasileiro, numa realização da Associação Brasileira de Enologia (ABE). O período das inscrições será em setembro, mas os trabalhos já seguem em ritmo acelerado.

Reconhecido como a maior vitrine para a promoção do espumante brasileiro, o concurso receberá inscrições de espumantes naturais, provenientes de uvas vitis viníferas, obtidos a partir dos diferentes métodos, que estejam sendo comercializados normalmente pelas empresas. Os espumantes serão degustados por um seleto grupo de degustadores escolhidos pela ABE, dentro de suas categorias: espumantes de segunda fermentação (charmat e tradicional) e espumantes de primeira fermentação (moscatéis).

Normas de degustação da Organização Internacional da Uva e do Vinho (OIV) e da União Internacional de Enólogos (UIOE) seguem norteando o evento. Serão premiados os espumantes melhores classificados por categoria, respeitando o limite de 30% dos inscritos conforme normas internacionais.

A edição de 2015 foi emblemática, registrando número recorde de amostras, além de premiação destaque. As 264 amostras de 70 vinícolas de 10 regiões produtoras do Brasil foram degustadas por 44 enólogos numa jornada de dois dias que resultou na premiação de 80 espumantes, sendo cinco Grande Medalha de Ouro (acima de 92 pontos), 70 Ouro (88 a 91 pontos) e cinco Prata (84 a 87 pontos).
Eu tive a oportunidade participar como jurada da edição 2015...foi uma experiência única!! 





Fonte texto: Conceito.Com


terça-feira, 9 de maio de 2017

“Vinho na Vila” aporta pela primeira vez no Rio com 200 rótulos de vinícolas nacionais





Sucesso em duas edições em São Paulo e uma em Florianópolis, o “Vinho na Vila” acontece pela primeira vez no Rio de Janeiro, de 19 a 21 de maio. O evento terá como cenário o novo ponto turístico do Rio de Janeiro: a revitalizada Praça Mauá, na parte do Prédio do Touring, com vista para a Baía de Guanabara e Museu do Amanhã. O acesso ao festival pode ser feito pelo VLT, estação Parada dos Museus.



 Durante o festival, os visitantes terão a oportunidade de conhecer cerca de 200 rótulos de vinhos e espumantes brasileiros diretamente com os produtores. O ingresso (agora, no segundo lote) custa R$70 e dá direito a uma taça oficial do evento e degustação em todos os stands, além de atrações musicais e palestras com especialistas do Instituto Brasileiro do Vinho - Ibravin. O público terá ainda a chance de aquirir garrafas com preços especiais de quem compra direto do produtor, com desconto de até 20%.


“Hoje, os cariocas estão bebendo vinho o ano inteiro, o mercado está crescendo muito no Rio. Fora que é uma cidade despojada, o que tem tudo a ver com a nossa proposta que é acabar com essa ideia de que vinho é uma coisa formal, elitista”, diz Larissa Fin, idealizadora do Vinho na Vila. “Outro tabu que queremos quebrar é de que os vinhos brasileiros não são bons. No evento, levaremos vários rótulos premiados e ainda desconhecidos. As pessoas terão a oportunidade de conhecer o que há de melhor no Brasil e, ainda, aprender com os produtores, saber a história e particularidade de cada vinho, o que faz toda a diferença na experiência.”

Exibindo vinho-na-vila-taça.jpg

Entre as vinícolas confirmadas até o momento estão: Bueno Wines (RJ), Casa Perini (Vale dos Vinhedos - RS), Dal Pizzol (Vale dos Vinhedos - RS), Torcello (Vale dos vinhedos - RS), Perico (Serra Catarinense - SC), Vinhos e Vinhos (Serra Gaúcha - RS), Gallon Sucos, exclusiva de sucos de uva (Serra Gaúcha - RS), Rio Sol (Pernambuco - PE), Maximo Boschi (Bento Gonçalves - RS), Giaretta (Guaporé - RS), Vinhos Batalha (Campanha - RS).

São esperadas 10 mil pessoas durante os três dias do evento

Na sexta, sábado e domingo, bandas cariocas de MPB, jazz e blues farão a trilha sonora do Vinho na Vila, como o grupo Relógio de Dalí (jazz) e Lourenço Vasconcellos Trio (blues), além de DJ. 

Como bons vinhos pedem boa gastronomia, para harmonizar, os visitantes poderão contar com a feira com produtos artesanais. Já estão confirmados os food trucks Jay Jay, The Pizzaiolos, Devorando, Gratini Food Bike, Belga e Roma in Rio. As tendas do Bolo da Graça, Los Paderos, Pestare Carioca Gourmet e Chocolate Artesanal Cubo também marcarão presença. Para quem curte cervejas haverá os rótulos da Paquetá Cervejaria.

Apreciadores, tanto amadores quanto experientes, que quiserem aprofundar seus conhecimentos sobre a produção nacional de vinhos poderão participar das palestras com especialistas, entre eles, a Silvia Mascella Rosa, sommelier do Ibravin. No “Momento Vinho na Vila” haverá harmonização e bate-papo sobre o universo do vinho.

Outra atração para adultos e crianças será a “Pisa na Uva”, experiência que revive a técnica artesanal de produção de vinhos dos imigrantes italianos.

Exibindo vinho-na-vila-rio_pisa na uva.jpg
Serviço:
Vinho na Vila | Rio de Janeiro
Datas: De 19 a 21 de maio, de sexta a domingo.
Endereço: Prédio do Touring -
 Praça Mauá, s/n – Região Portuária, Rio de Janeiro.
Horário: Das 14h às 22h
Ingressos:
R$50 (500 primeiros);
R$70 após;
R$100 no dia do evento.
*Menores de 15 anos acompanhados de um responsável não pagam ingresso. A entrada sem a degustação custa R$20.

Pontos de venda:
Online: Ingresso Certo.
Bang Rio Tattoo - Av. Ataulfo de Paiva, 1079 - Leblon.
Barra Shopping - Av. das Américas, 4666 - Barra da Tijuca.
Botafogo - Rua Voluntários da Pátria , 144 - Botafogo.
Centro - Rua do Ouvidor, 164 – Centro.
Meier - Rua Dias da Cruz, 151 – Méier.
Norte Shopping - Av. Dom Helder Camara, 5474 - Loja 703 Caxambi.
Shopping Nova América - Av. Pastor Martin Luther King Jr., 126 - Del Castilho.
Shopping Tijuca - Av. 
Maracanã, 987 - Tijuca
Shopping Via Parque - Av. Ayrton Senna, 3000 - Barra da Tijuca


Fonte TextoAssessoria de Imprensa Vinho na Vila - Rio de Janeiro
Foto: Márcia Monteiro/ Assessoria de Imprensa Vinho na Vila - RJ